Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

36ª Semana Literária Sesc Curitiba(Programação de 23 de setembro - Sábado)

9h30
Caminhada: Poesias e seus poetas na necrópole

Programação Patrimônio Movimentos de Memória
Com Clarissa Grassi
A “Caminhada: Poesias e seus poetas na necrópole”. Será um roteiro especial pelo cemitério municipal com enfoque em poetas paranaenses dos séculos XIX e XX, incluindo récitas de poemas em homenagem a alguns autores ali enterrados, como Emiliano Pernetta, Emílio de Menezes, Helena Kolody, entre outros. Os grupos serão de no máximo 35 pessoas. As inscrições, gratuitas, serão realizadas antecipadamente durante o evento na Praça Santos Andrade.
Saídas para as caminhadas: Cemitério Municipal São Francisco de Paula, Praça Padre João de Abreu Sotto Maior, sem número

10h00
A Última Quimera – Ana Miranda com Edna da Silva Polese

Em "A Última Quimera" Ana Miranda apresenta uma narrativa que se debruça sobre a vida e obra poética de Augusto dos Anjos (1884-1914), poeta incompreendido em sua época. O romance, classificado com ficção histórica, reconstrói o período do Rio de Janeiro na fase da elaboração da República e de outros acontecimentos marcantes da modernidade. A partir da teoria da ficção histórica elaborada por nomes com Hutcheon, Esteves e Weinhardt, faremos uma leitura sobre a construção ficcional da personagem histórica, o poeta Augusto dos Anjos, e sua época.

das 10h às 20h30
Museu de Arqueologia e Etnologia – UFPR
O Museu de Arqueologia e Etnologia da UFPR oferece, além de exposições em seus espaços, uma série de atividades e materiais lúdico-pedagógicos preparados para o público jovem, crianças do ensino fundamental, médio e professores. Entre esses materiais, o museu apresenta seu guia para visita no museu, livros de contos indígenas e africanos – também disponíveis em áudio, além de jogos, videojogos e um livro de RPG ambientado no Brasil pré-colonial, cuja perspectiva privilegiada é a dos grupos ameríndios quando dos primeiros momentos da ocupação europeia no território do sul do Brasil.

das 10h às 20h30
Vidas Refugiadas
Focada no cotidiano de oito mulheres refugiadas que vivem no Brasil, a mostra apresenta um grupo de imagens do fotógrafo Victor Moriyama. Seja pelas singulares expressões das fotos em estúdio ou mesmo dos registros das refugiadas em seus respectivos cotidianos, a exposição revela as dificuldades e os problemas enfrentados por elas ao mesmo tempo em que joga luz sobre suas conquistas, seus valores e seus esforços feitos para construir dias melhores no país que as acolheu como refugiadas. A curadoria do projeto é de Gabriela Ferraz em parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ANHCR/ACNUR) e a OIT (Organização Internacional do Trabalho).

das 10h às 20h30
Exposição CLOSER
A exposição CLOSER, de Tom Lisboa, é uma intervenção urbana que traz para bem perto dos transeuntes alguns monumentos públicos que estão distantes dos seus olhares. Confeccionados em grandes displays de papelão (como os que são feitos nos cinemas), eles revelam para os espectadores detalhes de obras que antes lhes eram inacessíveis.

das 10h às 16h
FaceLivro
A iniciativa da oficina FaceLivro consiste, através de uma técnica fotográfica chamada ilusão de perspectiva ou perspectiva forçada, em completar uma capa de livro ou disco utilizando esse segmento de imagem (a capa) em frente a uma pessoa e essa pessoa imitar a pose ou cena, imaginando como seria a foto em um enquadramento geral. A oficina será coordenada por Daniel Grizza.

10h40
Claro Enigma – Carlos Drummond de Andrade com Maria Luísa Carneiro Fumaneri
Falará sobre o livro de poemas Claro Enigma, de Carlos Drummond de Andrade, enfatizando sua importância para a poesia brasileira e a conjuntura histórica de sua elaboração, bem como seu significado na obra de Carlos Drummond de Andrade.

11h
Coletânea de Livros Infantis Sesc Paraná
O Sesc Paraná organizou a 2ª edição da coletânea de Contos Infantis, a fim de homenagear a cultura e a arte paranaense. É uma seleção de narrativas inéditas – produzidas por novos autores paranaenses, nativos ou residentes no estado. A antologia dedicada aos pequenos é composta por 10 histórias as quais foram ilustradas e representam um pouco das nossas tradições culturais.

11h20
Últimos Cantos – Gonçalves Dias com Ewerton Kaviski
Gonçalves Dias foi um poeta, teatrólogo, jornalista e um dos principais representantes da primeira geração romântica brasileira. É um nome importante para a poesia indianista, pois deu contorno nacional à literatura com seus poemas de sonoridade única e musicalidade dada pela estrofação e ritmo.
Foi o grande poeta do Romantismo brasileiro e influenciou inúmeros escritores com o seu estilo marcado pelo nacionalismo e pela exaltação das belezas naturais do Brasil e principalmente por retratar o índio como um guerreiro e de desvelar a sua cultura.

12h40
Clara dos Anjos – Lima Barreto com Geisa Mueller
O romance Clara dos Anjos, de Lima Barreto, expõe o cotidiano da cidade e das personagens de modo vivaz. Nesse sentido, a prosa de Lima Barreto é muito próxima de nós, pois a linguagem do escritor é direta, familiar à matéria da crônica, íntima do jornalismo. Nesta breve fala, iremos explorar as características da linguagem que trama o enredo de Clara dos Anjos. Abriremos o romance para perceber como a ficção limabarretiana estabelece uma conversa franca por intermédio de um narrador capaz de apontar nossa incongruência social.

13h20
Lavoura Arcaica – Raduan Nassar com Maria Isabel Bordini
A obra Lavoura Arcaica é o primeiro romance do escritor Raduan Nassar e conta a história de André, um jovem do meio rural arcaico que, sufocado por sua família e principalmente por seu pai, resolve abandonar tudo e se mudar para outra cidade interiorana. André tem inúmeros conflitos externos e internos, inclusive alimenta uma paixão por sua irmã. O livro foi publicado em 1975 e recebeu o prêmio da Academia Brasileira de Letras e o prêmio Jabuti. Ao ler a obra, é importante observar as características psicológicas do personagem, o contexto de sua vida asfixiante na lavoura, os desejos incestuosos e o padrão rígido do pai.

14h
Várias Histórias – Machado de Assis com Letícia Magalhães
No contexto de “Literatura e(m) movimento” parece estranho um espaço dedicado a uma lista fechada de obras literárias, escolhidas para realizar um exame seletivo. No entanto, ao abordar os clássicos, como Várias histórias, de Machado de Assis, faz-se também um movimento: percorre-se um caminho inverso ao buscar compreender por que a obra machadiana tornou-se um cânone. Nesse sentido, a fala pretende explorar de que modo as reflexões contidas em Várias histórias se desdobram até os dias atuais. Portanto, mais do que apresentar os triângulos amorosos ou cenários do Rio de Janeiro, a proposta deste breve encontro é ler alguns trechos e mostrar o impacto e a criticidade a partir da obra em questão.

14h40
Eles não usam black-tie – Gianfrancesco Guarnieri com Walter Lima Torres Neto
Eles não usam black-tie é uma peça de teatro escrita por Gianfrancesco Guarnieri (1934-2006). Em 30 minutos, vamos conhecer um pouco sobre este importante autor do teatro brasileiro e compartilhar algumas ideias sobre esta obra de grande destaque dentro da história do teatro e da vida pública nacional. Vamos conhecer ainda porque a peça, escrita em 1956, encenada em 1958 pelo Teatro de Arena de São Paulo, tornou-se um marco de nossa dramaturgia.

15h20
Da liberdade e necessidade: uma investigação sobre o entendimento humano – David Hume com Rodrigo Brandão

Fazemos nossas escolhas livremente? Temos ao menos algumas que podemos considerar livres? Ou poderíamos para cada escolha e decisão encontrar motivos que nos fizeram agir desta ou daquela maneira? Nossa vontade, portanto, não é livre? Mas não experimentamos frequentemente um sentimento de tanto faz perante escolhas quotidianas? Estas são algumas das questões que o filósofo escocês David Hume (1711-1776) enfrenta na seção VIII da Investigação sobre o entendimento humano (1748). Hume pretende fornecer um “projeto conciliatório sobre a questão da liberdade e da necessidade” por meio de definições precisas dos termos do problema, mostrando que em grande medida ele não passa de uma disputa verbal. Segundo o autor, considerando as definições que esclareceu, a liberdade e a necessidade são ambas aceitas por filósofos e pelo senso comum, fundamentam tanto a ciência quanto amparam nossas condutas, e apenas devido a uma confusão (à qual pretende pôr fim com suas explicações) são pensadas como mutuamente excludentes.

16h
Resposta à questão: o que é esclarecimento? Imannuel Kant com Ericson Falabretti
A proposta da fala é apresentar os conceitos kantianos de maioridade, menoridade e uso público e privado da razão e discutir as consequências éticas e antropológicas desse esquematismo kantiano.
Para responder à questão “o que é o esclarecimento (Aufklätrung)?”, Kant publicou na revista Berlinische Monatsschrift, em 1783, um dos textos mais marcantes e populares do final do século XVIII. O tema do esclarecimento – termo alemão para o iluminismo – retomava não apenas as bases éticas e políticas da tradição filosófica racionalista e iluminista da época, mas, principalmente, colocava em cena a nova concepção de homem, um ser racional e livre que encontrou condições de atingir a maioridade. Uma boa parcela de homens, estabelece Kant, principalmente aqueles que vivem em Estados no qual o uso público da razão é um direito reconhecido, dispõem das condições políticas para o exercício livre da razão, podendo, desse modo, conduzir as suas vidas com autonomia. Todavia, ainda encontramos pessoas que se recusam a viver na maioridade, preferindo, diz Kant com severidade, por preguiça ou covardia, viver na menoridade, seguir a orientação e o pensamento de tutores.

16h30
Show de lançamento do livro/DVD Percuteria
Denis Mariano Trio apresenta composições feitas especialmente para o recém-lançado livro/DVD "Percuteria", que aborda vários ritmos brasileiros e possibilidades de combinações de instrumentos de percussão. O show é um passeio pelo universo musical brasileiro com direito a bate-papo com o autor.
__________________________________
A Semana Literária em Curitiba
De 18 a 22 de setembro de 2017 das 10h às 20h30.
Dia 23 de setembro de 2017 (sábado) das 10h às 18h.
Endereço: Praça Santos Andrade
Telefone: (41) 3304-2266
Realização Fecomércio PR; Sesc PR; UFPR; Editora UFPR; PROEC
Apoio: Prefeitura de Curitiba; RPC TV;

Patrocínio da XIV; Feira do Livro Editora UFPR; Caixa Econômica Federal

Fonte:
http://www.sescpr.com.br/semanaliteraria/programacao/curitiba/

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Gildo Henrique (Lançamento de Livro dia 22 de setembro em Campos/RJ)


              
              Lançado pela Editora Autografia na XVIII Bienal do Livro - Rio (2017) e no Festival Doces Palavras (FDP) de Campos dos Goytacazes-RJ.
        Trata-se de um livro de contos com narrativas sobre meados da década de 1960, tendo como cenário Tócos, 17º Distrito de Campos, além do texto integral da peça teatral de mesmo nome, levada à cena em 2011 no Teatro do SESI/Campos, e com direção de Fernando Rossi.

            Contos:

            O Segredo do Capitão Garrafa
Premiado no Concurso Nacional de Contos José Cândido de Carvalho/2010, é uma metáfora de preocupações ambientalistas, com ênfase na degradação da Lagoa Feia, a segunda maior do Brasil, ao mesmo tempo em que revela a inocência da puberdade, com um passeio entre o religioso e o profano.

            Tinenti 
Revive um importante momento de transição na história do Brasil: no dia da morte de Tancredo Neves, presidente eleito e não empossado em 1985, jornalista marca entrevista com oficial do Exército Brasileiro. Enquanto aguarda o encontro, vive reminiscências do início da Ditadura militar, quando o Capitão Francisco, seu entrevistado e amigo de infância, já demonstrava sua tenência durante as algazarras próprias da garotada.

            Jovinha Doida 
É personagem marcante na localidade. Uma mulher surge, sem paradeiro e sem parentes, pelas ruas e cercanias do distrito, provocando a população com atitudes nada convencionais. Enquanto jogam sinuca, rapazes relembram fatos da velha caduca em sua juventude. Premiado no Concurso Nacional de Contos José Cândido de Carvalho/2014.

            Filatelia
Conto escolhido para publicação pela revista Correio Filatélico da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, é uma reflexão sobre colecionadores e a busca da felicidade a partir da reunião de objetos similares, como tijolos de uma obra interminável, ao mesmo tempo em que acentua o contraste entre o camponês e o urbanóide, uma referência ao papa-goiaba e a linguagem própria da região.

            O cinema, a lupa e o tempo  
Uma casa em escombros e o reencontro com um passado em que o cinema da pacata localidade acalentava sonhos pueris. Sem dinheiro para  bilhetes, a curiosidade da gurizada era o lixão no centro de um terreno e que continha preciosidades: pedaços cortados de películas cinematográficas que apresentavam problemas durante a semana.

            Um pé de tamarindo 
 Diplomata aposentado resolve voltar ao cenário de sua infância. Nunca mais consegue retornar do labirinto em torno de uma velha árvore.
...........................................................................
- O livro tem ilustrações e fotografias coloridas, estas da montagem teatral da estreia da peça em 2011.

- A capa é do talentoso designer Genilson Soares.
- Possui prefácio assinado pelo Mestre Orávio de Campos Soares.
____________________________________

Sobre o autor:

GILDO HENRIQUE é natural de Tócos, 17º distrito de Campos dos Goytacazes, RJ. 61 anos, pai de quatro filhos. É graduado em Design Gráfico e licenciado em Letras - Português e Literaturas, ambos pela Instituto Federal Fluminense. Autor de diversos contos e de diversas peças teatrais, muitas já encenadas.
     É dramaturgo, autor de várias peças teatrais:
      
- Negrinha, adaptação do conto de Monteiro Lobato;
       - Oliver Twist, adaptação do romance de Charles Dickens;
       - A evangelização da Planície Goitacá;
       - O Segredo do Capitão Garrafa e outras histórias;
       - Marginais - nada que é dourado permanece, adaptação do romance de Susan E. Hinton;
       - Olha para o céu, Frederico!, adaptação do romance de José Cândido de Carvalho; etc.
            Foi diretor e premiado ator de teatro e de cinema Super 8mm na década de 1970, tendo sido destaque como Zé-do-burro em O Pagador de Promessas, espetáculo de sucesso na região do Norte-Fluminense.

Fontes:
Sinopse do Livro enviada pelo escritor.
Biografia = O Escritor e  Recanto das Letras 

36ª Semana Literária Sesc Curitiba(Programação de 22 de setembro - Sexta)

10h
Educação profissional no mundo conectado com Fabio Flatschart
O bate-papo discutirá o uso de novas tecnologias de leitura, como os "e-books".

10h às 13h e 14h às 20h
FaceLivro
A iniciativa da oficina FaceLivro consiste, através de uma técnica fotográfica chamada ilusão de perspectiva ou perspectiva forçada, em completar uma capa de livro ou disco utilizando esse segmento de imagem (a capa) em frente a uma pessoa e essa pessoa imitar a pose ou cena, imaginando como seria a foto em um enquadramento geral. A oficina será coordenada por Daniel Grizza.

das 10h às 20h30
Museu de Arqueologia e Etnologia – UFPR
O Museu de Arqueologia e Etnologia da UFPR oferece, além de exposições em seus espaços, uma série de atividades e materiais lúdico-pedagógicos preparados para o público jovem, crianças do ensino fundamental, médio e professores. Entre esses materiais, o museu apresenta seu guia para visita no museu, livros de contos indígenas e africanos – também disponíveis em áudio, além de jogos, videojogos e um livro de RPG ambientado no Brasil pré-colonial, cuja perspectiva privilegiada é a dos grupos ameríndios quando dos primeiros momentos da ocupação europeia no território do sul do Brasil.

das 10h às 20h30
Vidas Refugiadas
Focada no cotidiano de oito mulheres refugiadas que vivem no Brasil, a mostra apresenta um grupo de imagens do fotógrafo Victor Moriyama. Seja pelas singulares expressões das fotos em estúdio ou mesmo dos registros das refugiadas em seus respectivos cotidianos, a exposição revela as dificuldades e os problemas enfrentados por elas ao mesmo tempo em que joga luz sobre suas conquistas, seus valores e seus esforços feitos para construir dias melhores no país que as acolheu como refugiadas. A curadoria do projeto é de Gabriela Ferraz em parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ANHCR/ACNUR) e a OIT (Organização Internacional do Trabalho).

das 10h às 20h30
Exposição CLOSER
A exposição CLOSER, de Tom Lisboa, é uma intervenção urbana que traz para bem perto dos transeuntes alguns monumentos públicos que estão distantes dos seus olhares. Confeccionados em grandes displays de papelão (como os que são feitos nos cinemas), eles revelam para os espectadores detalhes de obras que antes lhes eram inacessíveis.

às 10h e às 14h
Contação de História – O Sonho de Davi
A contação “O Sonho de Davi” é inspirada no cordel de Antônio Klévisson Viana. A história conta a saga de Davi, menino que, depois de ter um sonho especial, sai do sertão em busca de um tesouro na cidade grande. A narração é recheada com cantigas e ritmos da cultura nordestina.

10h; 17h
Oficina tipográfica
Oficina de gravura tipográfica abordando os seguintes tópicos: composição tipográfica, gravura em madeira, incunábulos, ex-libris e outros elementos tipográficos utilizados para a impressão de livros.

14h
Caminhada Cultural
Programação Patrimônio Movimentos de Memória
Com Maria Luiza Gomes e Ronaldo Bevilacqua Marcondes
A “Caminhada: cultura e patrimônio”. Realizaremos uma visita guiada pelo centro histórico da cidade com a proposta de sensibilizar o olhar do participante e valorizar o patrimônio local, passando por lugares como Praça Santos Andrade, Sesc Paço da Liberdade, Ruas Riachuelo e São Francisco, entre outros. Os grupos serão de no máximo 20 pessoas e as inscrições, gratuitas, feitas antecipadamente durante o evento.
Saídas para as caminhadas: palco central (Praça Santos Andrade)

11h
Vidas Refugiadas com María Ileana Faguaga Iglesias
A integração do refugiado como um sujeito com voz e com história, com outras possibilidades de realizaçao além dos estereótipos.

12h
Duo Art’n Bossa
Mari Lopes Franklin (voz, piano e harmônica) e Jackson Franklin (guitarra e violão) apresentam um repertório que inclui canções da música popular brasileira, incluindo bossa nova, samba e choro, além de clássicos do jazz.
O projeto surgiu em maio de 2008, quando o Instituto Brasil-Itália, em Milão, promoveu eventos para comemorar os 50 Anos da Bossa Nova. O duo já se apresentou na Convenção Mundial da Ordem Rosa Cruz, no palco do Teatro Guaíra, ao lado de Moraes Moreira e do maestro e pianista Raul Passos.

14h
Introdução ao Desenho e Ilustração com Victor Harmatiuk
O que é ilustração digital? Para qualquer produção visual, é necessário o desenvolvimento de desenhos, ilustrações e grafismos que mostrem aos produtores ou aos espectadores o clima e direcionamento da obra em questão. Saiba como utilizar sua criatividade para enriquecer universos visuais e Entenda o método de criação do artista Victor Harmatiuk.

15h30
Vamos falar sobre livros? com Gisele Eberspächer
Em Minha Vida de Youtube, para Jovens Leitores, Gisele Eberspächer responde perguntas sobre sua relação com a literatura e com a produção de vídeos para o Youtube.

18h30
Show Pétala
O livro "Pétalas de Poesia" e o EP "Pétala", de Rafaela Fortunato, fazem parte do projeto “Versos em movimento", que teve início em 2012, com o lançamento do primeiro CD de Rafaela. A essência do projeto é misturar literatura e música, poesia e canção.  Em 2016/2017, por meio do Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura do Paraná – Profice, com o apoio da Companhia Paranaense de Energia – Copel, o projeto ganhou novos ares, sendo apresentado em diversos municípios do Paraná, aos estudantes do ensino médio da rede pública estadual, incentivando-os a se aproximarem da poesia e da música popular brasileira.

19h
CineSesc – Tey
(Dir. Alain Gomis, FRA, 2012, 86min)
Sinopse: Dakar, a cidade familiar, cheias, colorido ... A família, os amigos, seu primeiro amor, eventos, aspirações ... Hoje Satché deve morrer. Ele foi escolhido. Hoje Satché vive como ele nunca viveu.

19h30
Movimentos de Memória: homenagem a Clarice Lispector com José Miguel Wisnik
José Miguel Wisnik, professor de literatura, ensaísta e crítico, vai homenagear Clarice Lispector e sua obra. Quais as propriedades e particularidades da escrita de Clarice Lispector? Suas críticas ousadas à natureza da alma humana e como esta importante jornalista e escritora brasileira se consagrou como uma das principais representantes da nossa literatura.
__________________________________
A Semana Literária em Curitiba
De 18 a 22 de setembro de 2017 das 10h às 20h30.
Dia 23 de setembro de 2017 (sábado) das 10h às 18h.
Endereço: Praça Santos Andrade
Telefone: (41) 3304-2266
Realização Fecomércio PR; Sesc PR; UFPR; Editora UFPR; PROEC
Apoio: Prefeitura de Curitiba; RPC TV;

Patrocínio da XIV; Feira do Livro Editora UFPR; Caixa Econômica Federal

Fonte:
http://www.sescpr.com.br/semanaliteraria/programacao/curitiba/

36ª Semana Literária Sesc Maringá (Programação 22 de setembro - Sexta)

08h30; 15h30
Curtas Infantis

Coletânea de curtas de animação de diversas épocas e técnicas. Os títulos são:
    “A Casa”, dirigido por Andrés Lieban;
    “A Moça que Dançou Depois de Morta”, dirigido por Ítalo Cajueiro;
    “A Rosa”, dirigido por Gordeeff;
    “Animando”, dirigido por Marcos Magalhães,
    “Aquarela”, dirigido por André Koogan Breitman e Andrés Lieban;
    “Docinhos”, dirigido por Frederico Pinto e José Maia;
    “Historietas Assombradas (para crianças malcriadas)”, dirigido por Victor-Hugo Borges;
    “Meow”, dirigido por Marcos Magalhães;
    “O Natal do Burrinho”, dirigido por José Maia, Lancast Mota, Otto Guerra;
    “Os Olhos do Pianista”, dirigido por Frederico Pinto;
    “Precipitação”, dirigido por Marcos Magalhães ;
    “Tem Boi no Trilho”, dirigido por Marcos Magalhães;
    “Tyger”, dirigido por Guilherme Marcondes;
    “Vrruummm!!!”, dirigido por Paula Dager Aguiar.

08h30 às 20h
Leia e Troque

O Leia e Troque é um serviço que promove a troca de livros e gibis, incentivando e conscientizando as pessoas de que, após lerem um livro, não o mantenham guardado, mas o disponibilizem ou troquem com outras pessoas para que todos tenham acesso à leitura. Essa ação de solidariedade e cooperação de livros faz com que muitos, após a leitura, doem seus livros para fazerem parte do serviço, independente de querer ou não realizar a troca. O objetivo geral deste serviço durante a Semana Literária é o incentivo à leitura por meio da socialização do livro e do respeito ao meio ambiente.

9h 14h
Apresentação de histórias infantis e bate-papo: encontro com a Escritora com Vanessa Meriqui

 A autora apresentará aos presentes sua trajetória literária e em seguida realizará a ação “Encontro com a Escritora”, promovendo um animado bate-papo com as crianças. Além de contar histórias de suas obras, a escritora também discutirá vários aspectos da produção editorial e industrial de um livro.

Escritora de livros infantis, contadora de histórias, jornalista e atriz. É pós-graduada na A Arte de Contar Histórias, Abordagens Poética, Literária e Performática e pesquisadora em Literatura Infantil. Como escritora, tem seus livros adotados em diversas instituições de ensino, também desenvolvendo oficinas de estímulo à leitura e produção literária para alunos. Para professores e pedagogos, ministra aulas em diferentes unidades do Senac de São Paulo e Paraná sobre A Arte de Contar Histórias. Támbém é capacitadora na Associação Viva e Deixe Viver, na Fundação Abrinq, Instituto Ethos e FDE.
 

09h ; 14h
Literatura e Interfaces com outras linguagens artísticas com Gustavo Rosseb
 

O autor discutirá como a linguagem de cinema e a fluidez da música contribuíram para a velocidade e o clima dos livros. Apresentará também de que modo eternizou em livros os relatos que coletou em diversos pontos do país. Mais ainda, salientará como a internet permitiu com que a obra "Aventuras de Tibor Lobato" fosse disseminada por todo o país, bem como sua interface com outras linguagens artísticas. Segundo o autor: “A expressão é livre como a água, moldando-se e remodelando-se com uma única lei: seguir o fluxo. Sendo assim, o diálogo da literatura com outras frentes artísticas é natural”.

Formado em Rádio e TV, o escritor é também músico, roteirista e designer. Atualmente, desenvolve a adaptação para o cinema do livro que marcou seu ingresso na literatura, O Oitavo Vilarejo, primeiro volume da série As Aventuras de Tigor Lobato. Publicou também A Guardiã de Muiraquitãs, segundo livro da série, e está prestes a lançar a terceira e última parte da saga. Também foi idealizador do Projeto Escute um Livro, custeado via financiamento coletivo, que visou transformar o primeiro volume da série em mil audiolivros a serem destinados para crianças com cegueira.
 

9h; 10h; 14h; 15h
Contos e Encantos Indígenas com Cia Fantokid’s Teatro de Bonecos
 

A Cia FantoKid’s com o objetivo de resgatar as lendas e contos indígenas, vem propor, por meio da montagem deste novo espetáculo, aproximar o público às histórias e lendas indígenas Brasileiras. A técnica utilizada para contar e ilustrar as histórias, é a animação de bonecos e objetos. Com duração de aproximadamente 40 min, os atores contadores de histórias levam o público a uma viagem por este universo da fauna, flora, encantos e magias. As três histórias escolhidas são: “A lenda da Sereia Iara”; “A lenda da Vitória Régia” e “O surgimento do fogo na tribo Kaingang”.

10h; 16h30
Helena de Curitiba
 

Dir. Josina Melo. “Helena de Curitiba” narra a história da professora e poetisa paranaense Helena Kolody. O documentário traz imagens e depoimentos inéditos da poetisa, colhidos um mês antes de sua morte, em fevereiro de 2004, aos 92 anos. O enredo do filme nasce com cenas fictícias da infância e adolescência dela em meio à natureza paranaense, passando pelo amadurecimento da escritora, professora, e mostrando a sua história como filha, jovem, mulher e autora. Relata parte da história da imigração ucraniana no Paraná através de imagens do acervo da Cinemateca de Curitiba.

20h
Leitura Literária para Reencanto da Vida com Cléo Busatto
    

A palestra dinâmica e interativa propõe olhar para a leitura literária sob o ponto de vista do seu valor simbólico que instrumentaliza o desenvolvimento do potencial humano, na medida em que amplia a consciência ética e estética do sujeito. A literatura nos ajuda na compreensão do mundo interno.
    A leitura literária expressa a multiplicidade de olhares que o homem lança sobre si e sobre as coisas, e com isso cria o sentido de pertencimento a algo maior, como se estivéssemos ligados à alma do mundo. Este é um dos efeitos da literatura sobre nós. Mostrar-nos outras vidas para que a gente possa olhar para a nossa e decidir o que é melhor. A literatura nos ensina a habitar poeticamente o mundo.

Cléo Busatto é uma artista da palavra. Como escritora publicou seu primeiro livro Dorminhoco, em 2001. Autora de mais de 20 obras, entre literatura para crianças e jovens, teóricos sobre oralidade e mídias digitais, que venderam em torno de 190 mil exemplares. Eles fazem parte de programas de leitura e catálogos internacionais, como o da Feira do Livro Infantil de Bolonha – Itália. Em 2016, seu livro A fofa do terceiro andar foi finalista ao Prêmio Jabuti, na categoria juvenil. Nos últimos cinco anos contou histórias para mais de 100 mil pessoas, no Brasil e exterior. Produziu e narrou histórias no meio digital. Esta pesquisa que foi tema da sua dissertação de mestrado originou cinco mídias. Nesse mesmo período formou em torno de 50 mil pessoas, em oficinas e palestras sobre oralidade, leitura e literatura. Cléo Busatto é Mestre em Teoria Literária, pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC.

____________________________
A Semana Literária em Maringá
Realização Fecomércio PR - Sesc PR

Endereço: Av. Duque de Caxias,1517
Agendamento:
32652770 - Valéria / 32652750 - Andréia

terça-feira, 19 de setembro de 2017

36ª Semana Literária Sesc Curitiba (Programação de 21 de setembro - Quinta)

10h
Caminhada: Poesias e seus poetas na necrópole

Programação Patrimônio Movimentos de Memória
Com Clarissa Grassi
A “Caminhada: Poesias e seus poetas na necrópole”. Será um roteiro especial pelo cemitério municipal com enfoque em poetas paranaenses dos séculos XIX e XX, incluindo récitas de poemas em homenagem a alguns autores ali enterrados, como Emiliano Pernetta, Emílio de Menezes, Helena Kolody, entre outros. Os grupos serão de no máximo 35 pessoas. As inscrições, gratuitas, serão realizadas antecipadamente durante o evento na Praça Santos Andrade.
Saídas para as caminhadas: Cemitério Municipal São Francisco de Paula, Praça Padre João de Abreu Sotto Maior, sem número

10h; 14h
Encadernação
A oficina de encadernação, conduzida por Luana Oliveira,  irá ensinar técnicas básicas para o participante fazer seu próprio caderninho. O aluno vai aprender a costurar as folhas, fazer a capa, juntar as partes e exercer sua criatividade.

10h às 13h e 14h às 20h
FaceLivro
A iniciativa da oficina FaceLivro consiste, através de uma técnica fotográfica chamada ilusão de perspectiva ou perspectiva forçada, em completar uma capa de livro ou disco utilizando esse segmento de imagem (a capa) em frente a uma pessoa e essa pessoa imitar a pose ou cena, imaginando como seria a foto em um enquadramento geral. A oficina será coordenada por Daniel Grizza.

das 10h às 20h30
Museu de Arqueologia e Etnologia – UFPR
O Museu de Arqueologia e Etnologia da UFPR oferece, além de exposições em seus espaços, uma série de atividades e materiais lúdico-pedagógicos preparados para o público jovem, crianças do ensino fundamental, médio e professores. Entre esses materiais, o museu apresenta seu guia para visita no museu, livros de contos indígenas e africanos – também disponíveis em áudio, além de jogos, videojogos e um livro de RPG ambientado no Brasil pré-colonial, cuja perspectiva privilegiada é a dos grupos ameríndios quando dos primeiros momentos da ocupação europeia no território do sul do Brasil.

das 10h às 20h30
Vidas Refugiadas
Focada no cotidiano de oito mulheres refugiadas que vivem no Brasil, a mostra apresenta um grupo de imagens do fotógrafo Victor Moriyama. Seja pelas singulares expressões das fotos em estúdio ou mesmo dos registros das refugiadas em seus respectivos cotidianos, a exposição revela as dificuldades e os problemas enfrentados por elas ao mesmo tempo em que joga luz sobre suas conquistas, seus valores e seus esforços feitos para construir dias melhores no país que as acolheu como refugiadas. A curadoria do projeto é de Gabriela Ferraz em parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ANHCR/ACNUR) e a OIT (Organização Internacional do Trabalho).

das 10h às 20h30
Exposição CLOSER
A exposição CLOSER, de Tom Lisboa, é uma intervenção urbana que traz para bem perto dos transeuntes alguns monumentos públicos que estão distantes dos seus olhares. Confeccionados em grandes displays de papelão (como os que são feitos nos cinemas), eles revelam para os espectadores detalhes de obras que antes lhes eram inacessíveis.

às 10h e às 14h
Contação de História – O Sonho de Davi
A contação “O Sonho de Davi” é inspirada no cordel de Antônio Klévisson Viana. A história conta a saga de Davi, menino que, depois de ter um sonho especial, sai do sertão em busca de um tesouro na cidade grande. A narração é recheada com cantigas e ritmos da cultura nordestina.

10h; 17h
Oficina tipográfica

Oficina de gravura tipográfica abordando os seguintes tópicos: composição tipográfica, gravura em madeira, incunábulos, ex-libris e outros elementos tipográficos utilizados para a impressão de livros.

10; 14h
Caminhada Cultural
Programação Patrimônio Movimentos de Memória
Com Maria Luiza Gomes e Ronaldo Bevilacqua Marcondes
A “Caminhada: cultura e patrimônio”. Realizaremos uma visita guiada pelo centro histórico da cidade com a proposta de sensibilizar o olhar do participante e valorizar o patrimônio local, passando por lugares como Praça Santos Andrade, Sesc Paço da Liberdade, Ruas Riachuelo e São Francisco, entre outros. Os grupos serão de no máximo 20 pessoas e as inscrições, gratuitas, feitas antecipadamente durante o evento.
Saídas para as caminhadas: palco central (Praça Santos Andrade)

11h
Literatura de Refúgio
Bate-Papo. Literatura de Refúgio faz parte do PBMIH – Português Brasileiro para Migração Humanitária – um projeto do Departamento de Letras da UFPR – Universidade Federal do Paraná, cuja iniciativa é levar ao público de Curitiba e região a reflexão sobre as questões migratórias por meio da literatura.

12h
Coral Cantar e Cantar
O Coral Cantar e Cantar do Sesc Água Verde desenvolve atividades de caráter social e motivacional através da prática do canto coral, produzindo uma música de qualidade, sempre respeitando a individualidade de cada integrante.  Através da difusão da música brasileira e paranaense, o Coral Cantar e Cantar leva ao seu público a afeição e o entusiasmo que os coristas possuem pela arte de cantar, sempre buscando apresentar o melhor de si. Ao longo de sua belíssima trajetória, o Coral Cantar e Cantar anseia pela melhoria da qualidade de vida dos seus participantes e, através da educação musical, desperta a alegria, desenvolvendo a autonomia e o bem-estar individual e coletivo.

15h
O Poder do Acolhimento e as Práticas Pedagógicas com Isabel Parolin, Paula Pedroso e Sonia Küster
Mediação: Lia Noemi de Freitas
Quando se fala em acolhimento, logo se pensa em episódios, momentos acolhedores. Ou seja, planejar algo para que as pessoas sintam-se acolhidas. Importante, sem dúvida. Porém, nosso olhar deve ser para o acolhimento que vai além dos atos episódicos e pontuais. Queremos discutir a importância do acolhimento como um item importante do planejamento do professor com intencionalidade, estratégias e avaliação ao longo do processo educacional.  Outro item que consideramos primordial é o acolhimento destinado à formação de adultos. O tema acolhimento nas escolas, destinadas a crianças e jovens, é bem aceito e vivido, porém, quando se trata da educação e formação de adultos, parece ser um ponto de somenos. Será que os adultos não necessitam sentir-se acolhidos quando vão viver seus processos de formação? Ou quando vão à escola de seus filhos? Vamos pensar juntos como o acolhimento é "acolhido" pelas pessoas? Ou seja, a sua repercussão.

das 15h às 19h
Oficina de Marmorização em Papel
Esta técnica também é conhecida como Ebru ou ainda Marbling Paper e consiste na feitura de desenhos sobre água condensada. A cor que fica flutuando sobre a água pode ser manipulada e com isso é possível criar padrões semelhantes ao mármore liso ou outra pedra. Os desenhos são posteriormente transferidos para o papel ou tecido. Suas aplicações são diversas, mas é especialmente utilizada como capas de livros e guardas em encadernações e papelaria. Parte do seu apelo é que cada impressão é um original único.

15h30
Tradução de games: Armadilhas e tesouros da localização de jogo com Thiago Hilger e Sheila Gomes
Nessa conversa, Sheila Gomes e Thiago Hilger vão discorrer sobre localização de jogos, explicando desde o significado do termo até os desafios encontrados, contando situações que cada um já passou nesse universo, além de dar um panorama sobre a vida de localizador de jogos e das comunidades de que cada um participa para trocar ideias com colegas.

18h
Abecedário de personagens do Folclore Brasileiro com Januária Cristina Alves
Com recorte que busca contemplar a diversidade de origens indígena, africana, europeia e oriental como constituintes da cultura brasileira, esse livro reúne 141 das personagens mais significativas e recorrentes em seu folclore. Elas foram representadas em forma de verbetes acompanhados cada um de uma ilustração, da descrição de suas características físicas e psicológicas, de suas origens e da reunião de narrativas em que aparecem.
Auditório: Bate-papo com a autora no Teatro da Feira, seguido de sessão de autógrafos no estande das Edições Sesc

18h30
Pecora Loca
Pecora Loca é um grupo de tradução e performance poética sediado em Curitiba, cujo repertório consiste de recitação, tradução, musicalização e performance dos poemas greco-romanos e de canções do período moderno em outras línguas. O grupo, coordenado por Rodrigo Tadeu Gonçalves e Guilherme Gontijo Flores, é formado também por Bernardo Brandão, Guilherme Bernardes, Luana Prunelle, Leonardo Fischer, Marcelo Bourscheid, Raphael Pappa Lautenschlager e Sergio Maciel.

19h
CineSesc – Atlantiques
(Dir. Mati Diop, SEN, 2009, 16min)
Sinopse: À noite, ao redor do fogo, Serigne, um jovem Dakar tem vinte anos de idade e conta a seus dois amigos sobre sua condição ilegal durante a sua odisseia épica de cruzamento do Atlântico.

19h20
CineSesc – Au bord du monde
(Dir. Claus Drexel, FRA, 2013, 98min)
Sinopse: Jeni, Wenceslas, Christine, Pascal e muitos outros vivem na noite de Paris. Os moradores de rua dominam as calçadas, as pontes e os corredores subterrâneos do metrô, vivendo à margem da sociedade.

19h30
Literatura e(m) seus contatos com outras linguagens com André Vallias e Pedro de Niemeyer Cesarino
Mediação: Alexandre André Nodari
Pensar a literatura em seus contatos, encontros, fricções com outras línguas, linguagens, discursos, artes e poéticas é o objetivo dessa mesa, que contará com o poeta, tradutor e designer André Vallias, autor de Totem e oratório, entre outros, e Pedro Cesarino, antropólogo, tradutor de cantos e mitos marubo, e autor do romance recente Rio acima, que aborda a relação entre mito, literatura e história.

__________________________________
A Semana Literária em Curitiba
De 18 a 22 de setembro de 2017 das 10h às 20h30.
Dia 23 de setembro de 2017 (sábado) das 10h às 18h.
Endereço: Praça Santos Andrade
Telefone: (41) 3304-2266
Realização Fecomércio PR; Sesc PR; UFPR; Editora UFPR; PROEC
Apoio: Prefeitura de Curitiba; RPC TV;

Patrocínio da XIV; Feira do Livro Editora UFPR; Caixa Econômica Federal

Fonte:
http://www.sescpr.com.br/semanaliteraria/programacao/curitiba/

36ª Semana Literária Sesc Maringá (Programação 21 de setembro - Quinta)

08h30; 15h30
Curtas Infantis
 

Coletânea de curtas de animação de diversas épocas e técnicas. Os títulos são:
    “A Casa”, dirigido por Andrés Lieban;
    “A Moça que Dançou Depois de Morta”, dirigido por Ítalo Cajueiro;
    “A Rosa”, dirigido por Gordeeff;
    “Animando”, dirigido por Marcos Magalhães,
    “Aquarela”, dirigido por André Koogan Breitman e Andrés Lieban;
    “Docinhos”, dirigido por Frederico Pinto e José Maia;
    “Historietas Assombradas (para crianças malcriadas)”, dirigido por Victor-Hugo Borges;
    “Meow”, dirigido por Marcos Magalhães;
    “O Natal do Burrinho”, dirigido por José Maia, Lancast Mota, Otto Guerra;
    “Os Olhos do Pianista”, dirigido por Frederico Pinto;
    “Precipitação”, dirigido por Marcos Magalhães ;
    “Tem Boi no Trilho”, dirigido por Marcos Magalhães;
    “Tyger”, dirigido por Guilherme Marcondes;
    “Vrruummm!!!”, dirigido por Paula Dager Aguiar.

08h30 às 20h
Leia e Troque

 O Leia e Troque é um serviço que promove a troca de livros e gibis, incentivando e conscientizando as pessoas de que, após lerem um livro, não o mantenham guardado, mas o disponibilizem ou troquem com outras pessoas para que todos tenham acesso à leitura. Essa ação de solidariedade e cooperação de livros faz com que muitos, após a leitura, doem seus livros para fazerem parte do serviço, independente de querer ou não realizar a troca. O objetivo geral deste serviço durante a Semana Literária é o incentivo à leitura por meio da socialização do livro e do respeito ao meio ambiente.

9h; 10h; 14h; 15h
Em Cada Nota Um Conto com Cia Risologistas
 

O espetáculo transita e homenageia grandes autores da literatura brasileira, de uma forma que a criança e o adolescente se interessem pela linguagem literária e busque se aprofundar na riqueza de novos contos.  O enredo do espetáculo é guiado pela música. Esta tem por objetivo preencher as atuações e cada cena, respeitando os períodos de cada conto e o espaço histórico e social de cada época. Utilizando de algumas das principais obras da literatura, o espetáculo mistura plataformas de Drummond, Mário de Andrade, Lygia Telles, Graciliano Ramos, Adélia Prado e outros. Essa simbiose literária, adaptada pelo Professor Alfredo Cruz, é desenvolvida na linguagem e no fazer artístico que desperte ações catárticas do espectador, sabendo que esse está em um período de desenvolvimento de aprendizagem e da capacidade de modificar o meio.

O Grupo teatral Cia Risologistas de Cascavel, surgiu em 2007 e tem uma pesquisa que busca novas linguagens para o circo – teatro e desenvolve um trabalho social em várias instituições, atendendo inclusive em hospitais levando a arte de palhaço para pessoas e crianças carentes de alegria. Um dos principais projetos que o grupo desenvolve é “Socializando o Riso”, um projeto sócio artístico que visa a democratização e a difusão da arte por meio de espetáculos circenses, performances e oficinas em 25 bairros carentes no estado do Paraná. Além disso, o projeto faz parte do trabalho de desenvolvimento humanitário da companhia, sendo assim, além de apresentações cênicas o projeto visa visitar 50 postos de atendimentos e hospitais em todo o projeto.
 

9h; 10h; 14h; 15h
Mediações Literárias com Rosane de Castro

 A escritora e narradora de histórias Rosane Castro, fará apresentações e contações de histórias referentes aos seus livros.

Escritora, narradora de histórias, arte-educadora e promotora cultural. Graduada em Letras pela Universidade Luterana do Brasil – Ulbra, e pós-graduada em História e Cultura Indígena e Africana. Atua em projetos culturais, sociais e pedagógicos  em instituições públicas, privadas e organizações não governamentais. Organiza e atua em feiras, bienais e eventos culturais e literários na Região Metropolitana de Porto Alegre e em diversas cidades do interior do Rio Grande do Sul e vários estados do Brasil. Idealizou o projeto Piquenique da Leitura, que completou três anos em março de 2015.
 

15h
Senhora das Sete Quedas com Ângela Ramalho

 Sabemos que as Sete Quedas desapareceram em 1982, com a formação do lago da Usina Hidrelétrica de Itaipu. Nesse cordel Angela Ramalho utiliza-se de metáfora para brincar com a ideia de que as sete quedas não acabaram. Aquelas formadas pela natureza sim, mas uma paranaense arretada, filha de pais nordestinos, registra em sua história de vida, sete quedas (tombos) que lhe aconteceram. De forma bem humorada a autora conta em versos como aconteceu cada queda.

Ângela Ramalho é paranaense. Escreveu "Palavras Pedem Passagem" (poesias, 2010); "Poeminhas Dedicados" (poesias infantis, 2010); "De Abraços & Cheiros" (crônicas e contos, 2012); “Traços” (poesias, 2014); “Entendendo as Pessoas Grandes” (contos infantojuvenis, 2014); “Poexisto” (poesias, 2015) e Santa Mãezinha (religioso/poesia infantil, 2016). Possui obras publicadas em mais de 50 antologias. É produtora de um blog literário que obteve o 1º lugar no Prêmio Top Blog Brasil edição 2013/14 e o 3º lugar na mesma premiação, edição 2015/16. Contemplada em 7º lugar no Prêmio Aniceto Matti (Maringá-Pr, 2015) com o Projeto Toró Literário, coordenando 50 Oficinas Literárias para crianças e adolescentes. Em 2016 obteve o 1º lugar no VII Concurso de Poesia Popular, organizado pela UBT de Maranguape, no Ceará. Desde setembro/2015 atua como editora-chefe da A. R. Publisher Editora, onde produz e edita seus próprios livros e de outros escritores. Implantou e coordena em sua editora o Concurso Literário Prêmio VIP de Literatura, atualmente em sua 2ª edição. No prelo: “O pum da velha senhora” (poesia infantil) e o cordel “Senhora das Sete Quedas”.
 

16h30
Hasllen e a Princesa Perdida com Matheus Ramalho Campos

 Provocar nos leitores o encantamento e a magia da literatura fantástica é o que se propõe M. H. Ramalho em seu romance de estreia. O livro conta a história de Rick Venneto, um adolescente de 16 anos, que tem uma vida aparentemente estável. Mora com os pais e descende de uma família tradicional brasileira. Apesar disso, Rick tem poucos amigos, não decidiu que faculdade pretende cursar e sua vida amorosa não é das melhores. Um dia, ao voltar do colégio, pensamentos banais mantinham-no distraído, quando algo atravessou seu caminho: era um pônei todo branco! Ele sentiu-se atraído por aquele animal, como se ambos necessitassem um do outro. O que ele não sabia é que o animal, na verdade era uma princesa unicórnio, vinda do fantástico mundo de Hasllen e que ele seria o único humano capaz de ajudá-la a voltar para seu mundo. A partir daí, a vida solitária e antissocial de Rick sofre uma reviravolta. A princesa mostra-lhe o sentido da vida e o porquê de sua presença ali. Mas em função das guerras que aconteciam no mundo de Hasllen ela precisou voltar urgentemente.  Rick decidiu que iria com ela e a partir daí, envolveu-se numa aventura onde pode conhecer o verdadeiro sentido da amizade, da beleza e do amor, ao mesmo tempo em que vivenciou experiências fantásticas num mundo de encantamento e magia, somente possível de se adentrar através das asas da imaginação.

Matheus Ramalho Campos nasceu em Maringá, no Paraná, em 2000. Escreve contos e poesias desde os 13 anos. Estuda no colégio Anglo de Maringá e seu maior sonho foi escrever um livro e entrar no ramo literário.
 

20h
Música e Poesia com Estrela Ruiz Leminski

 Bate-papo com a escritora Estrela Ruiz Leminski sobre música e poesia. A autora fará uma trajetória pelos livros já publicados e apresentará uma palestra sobre a literatura e música. Estrela contará sobre seu trabalho de auto-produtora, que sempre lidou com essas duas áreas. Vai conversar também a respeito de sua pesquisa sobre a poesia marginal e vanguarda paulista, movimentos que seus pais (Alice Ruiz e Paulo Leminski) fizeram parte.

Formada em Música pela Faculdade de Artes do Paraná, concluiu sua especialização em Música Popular Brasileira e Mestrado em Música e em Musicologia na Universidad de Valladolid (Espanha), além de outro mestrado em Música pela Universidade Federal do Paraná. Em 2004 lançou seu primeiro livro, Cupido, cuspido, escarrado, incluindo seus poemas feitos na infância e adolescência. Em 2009 participou da antologia XXI poetas de hoje em dia(nte). Em 2010 lançou o livro Poesia é Não, contemplado pelo programa PNBE em 2012 e adotado pelas escolas de todo país. Integrou a antologia de poetas da Geração 2000 da Global Editora e a antologia Poemas para crianças de todas as idades, organizado e ilustrado por Adriana Calcanhoto. Participou de feiras literárias e publicações em revistas como Poesia Sempre da Biblioteca Nacional, Revista de Autofagia de Minas Gerais e Et cetera da Travessa dos Editores. Recebeu prêmios no Encontro Brasileiro de Haikai e no Concurso Zempaku-Haikai e ministra oficinas sobre o tema.

____________________________
A Semana Literária em Maringá
Realização Fecomércio PR - Sesc PR

Endereço: Av. Duque de Caxias,1517
Agendamento:
32652770 - Valéria / 32652750 - Andréia

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

36ª Semana Literária Sesc Curitiba (Programação de 20 de setembro - Quarta)

10h
Minioficina: Utilizando contos populares na formação de jovens leitores

Essa atividade, conduzida por Samuel Teixeira e Tatiane Phauloz, pretende apresentar e discutir questionamentos acerca da literatura popular e seus pontos de contato com a literatura infantil. A discussão será feita a partir dos questionamentos levantados pelo autor e ilustrador paulistano Ricardo Azevedo em seus textos teóricos “Conto popular, literatura e formação de leitores”. Além disso, serão apresentados alguns contos populares para fomentar a discussão.

10h às 13h e 14h às 20h
FaceLivro

A iniciativa da oficina FaceLivro consiste, através de uma técnica fotográfica chamada ilusão de perspectiva ou perspectiva forçada, em completar uma capa de livro ou disco utilizando esse segmento de imagem (a capa) em frente a uma pessoa e essa pessoa imitar a pose ou cena, imaginando como seria a foto em um enquadramento geral. A oficina será coordenada por Daniel Grizza.

das 10h às 20h30
Museu de Arqueologia e Etnologia – UFPR
O Museu de Arqueologia e Etnologia da UFPR oferece, além de exposições em seus espaços, uma série de atividades e materiais lúdico-pedagógicos preparados para o público jovem, crianças do ensino fundamental, médio e professores. Entre esses materiais, o museu apresenta seu guia para visita no museu, livros de contos indígenas e africanos – também disponíveis em áudio, além de jogos, videojogos e um livro de RPG ambientado no Brasil pré-colonial, cuja perspectiva privilegiada é a dos grupos ameríndios quando dos primeiros momentos da ocupação europeia no território do sul do Brasil.

das 10h às 20h30
Vidas Refugiadas

Focada no cotidiano de oito mulheres refugiadas que vivem no Brasil, a mostra apresenta um grupo de imagens do fotógrafo Victor Moriyama. Seja pelas singulares expressões das fotos em estúdio ou mesmo dos registros das refugiadas em seus respectivos cotidianos, a exposição revela as dificuldades e os problemas enfrentados por elas ao mesmo tempo em que joga luz sobre suas conquistas, seus valores e seus esforços feitos para construir dias melhores no país que as acolheu como refugiadas. A curadoria do projeto é de Gabriela Ferraz em parceria com a Agência da ONU para Refugiados (ANHCR/ACNUR) e a OIT (Organização Internacional do Trabalho).

das 10h às 20h30
Exposição CLOSER

A exposição CLOSER, de Tom Lisboa, é uma intervenção urbana que traz para bem perto dos transeuntes alguns monumentos públicos que estão distantes dos seus olhares. Confeccionados em grandes displays de papelão (como os que são feitos nos cinemas), eles revelam para os espectadores detalhes de obras que antes lhes eram inacessíveis.

às 10h e às 14h
Contação de História – O Sonho de Davi

A contação “O Sonho de Davi” é inspirada no cordel de Antônio Klévisson Viana. A história conta a saga de Davi, menino que, depois de ter um sonho especial, sai do sertão em busca de um tesouro na cidade grande. A narração é recheada com cantigas e ritmos da cultura nordestina.

10h; 17h
Oficina tipográfica

Oficina de gravura tipográfica abordando os seguintes tópicos: composição tipográfica, gravura em madeira, incunábulos, ex-libris e outros elementos tipográficos utilizados para a impressão de livros.

14h
Caminhada Cultural

Programação Patrimônio Movimentos de Memória
Com Maria Luiza Gomes e Ronaldo Bevilacqua Marcondes
A “Caminhada: cultura e patrimônio”. Realizaremos uma visita guiada pelo centro histórico da cidade com a proposta de sensibilizar o olhar do participante e valorizar o patrimônio local, passando por lugares como Praça Santos Andrade, Sesc Paço da Liberdade, Ruas Riachuelo e São Francisco, entre outros. Os grupos serão de no máximo 20 pessoas e as inscrições, gratuitas, feitas antecipadamente durante o evento.
Saídas para as caminhadas: palco central (Praça Santos Andrade)

11h
Roda de leitura de autores angolanos

Leitura de alguns contos e poemas dos escritores angolanos Ondjaki e José Eduardo Agualusa.

12h
Banda Lyra Curitibana

A Banda Lyra Curitibana existe há 34 anos e é mantida pela Fundação Cultural de Curitiba (FCC) e Instituto Curitiba de Arte e Cultura (ICAC). É responsável principalmente pela animação musical dos eventos públicos. Conta atualmente com 28 integrantes e faz uma média de 160 apresentações por ano. Os músicos tocam instrumentos de sopro e percussão e o repertório é bem variado, composto por mais de 400 músicas, desde música erudita a samba, trilhas musicais, mambos, marchas e hinos.

14h
Amigos Bichos com Adélia Maria Woellner

Em Amigos Bichos, há uma história a ser vivida pela criança que também participa da “autoria” ao colorir as imagens, de acordo com sua visão cromática, terá um livro exclusivo, pessoal. Mais que isso, a história poderá estimular a descoberta de demonstrações de amor, generosidade, desprendimento, carinho, nas atitudes do menino que observa as características e beleza dos animais, sendo a criança, assim, incentivada a respeitar a natureza.

14h
Roteiro e produção de filmes de animação com Gustavo Ribeiro

Quais são as etapas de produção de um filme? Talvez você já tenha até parado para pensar nisso. Mas e um filme em 3D? Como se cria um universo do zero? Nessa oficina, pretende-se fazer um apanhado geral do processo de produção de um filme de animação, com ênfase na criação do roteiro e do storyboard.
Roteiro; Personagens: Elementos externos e internos; Estrutura da história; Desenvolvimento dos atos Storyboard: Uma nova vida, uma nova história; Roteiro e limitações de produção em um ambiente de animação 3D.

15h
Formação de Leitores e Multiletramentos com Lúcia Peixoto Cherem e Sandra Bozza
Mediação: Milena Ribeiro Martins
Através do tema da mesa “Formação de Leitores e Multiletramentos”, intentamos contribuir para a necessária e pertinente reflexão sobre o fato da interação social não mais ser garantida apenas através do texto escrito. Fica cada vez mais explícita a imprescindibilidade de se conceber que a formação de leitores e leitoras ultrapassa as barreiras do trabalho com a multiplicidade de suportes discursivos.  Dada à contemporaneidade do tema, pensar sobre muitos espaços e formas de interação e organização social a partir e através de diferentes ícones e diversos códigos visuais, sonoros e plásticos se mostra inevitável e relevante, considerando os novos espaços de comunicação, informação verbal e não verbais hoje utilizados tanto nas mídias virtuais como nos espaços físicos das cidades. Esse complexo sistema cria e possibilita a conveniência de formação diferente de leitor, o que, consequentemente, implica a obrigação de se formar diferentes formadores de leitores.

das 15h às 19h
Oficina de Marmorização em Papel
Esta técnica também é conhecida como Ebru ou ainda Marbling Paper e consiste na feitura de desenhos sobre água condensada. A cor que fica flutuando sobre a água pode ser manipulada e com isso é possível criar padrões semelhantes ao mármore liso ou outra pedra. Os desenhos são posteriormente transferidos para o papel ou tecido. Suas aplicações são diversas, mas é especialmente utilizada como capas de livros e guardas em encadernações e papelaria. Parte do seu apelo é que cada impressão é um original único.

15h30
Literatura Fantástica: mundos fantásticos com Thiago Tizzot e Gabriela Ribeiro
Muito além de monstros, heróis e magia. Cada ano que passa, a literatura fantástica cresce, o número de leitores aumenta, seus livros invadiram as telas de cinema, da TV e dos jogos e hoje muitos são fenômenos culturais. Apesar de ainda ser visto como um gênero sem muita importância pelos críticos e estudiosos, é inegável seu sucesso absoluto.
Como livros repletos de aventuras e mundos fantásticos conseguem cativar tantas pessoas? Por que ainda existem tão poucos autores de literatura fantástica no Brasil?

18h30
Show em homenagem a Mercedes Sosa
No show Tributo a Mercedes Sosa, o AVEduo, formado pelas cantoras Andréa Bernardini e Viviana Mena, apresentam um repertório selecionado da cantora argentina, que exerceu grande influência para cantores e músicos latino-americanos de diversas gerações. Clássicos como Merceditas, Los Hermanos e Volver a los 17, entre outras zambas, chacareras e huaynos, ritmos típicos da música sul-americana, simbolizam diferentes momentos dos 50 anos de carreira de Mercedes Sosa.

19h
Poesia Contemporânea: Ensayos del Tiempo com Leopoldo Castilla e Pedro Ezequiel Marotta
Mediação: Isabel Jasinski
Leopoldo Castilla, conhecido como “Teuco”, nasceu em Salta, Argentina, 1947, sendo exilado na década de 70. Tem uma vasta publicação em poesia, narrativa e ensaio e já recebeu diversos prêmios, sendo o último o prémio Víctor Valera Mora (2014), por seu livro “Gong (Canto Al Asia)”, sobre suas viagens ao oriente. A mediadora é Isabel Jasinski, professora de literatura hispânica na UFP. Realizou seu doutorado e pós-doutorado na UFSC, com um período de estágio no México (Unam). Entre outros assuntos, é especialista em literatura e exílio, literatura e alteridade e literatura e outras artes.

19h
CineSesc – HOPE(Dir. Boris Lojkine, FRA, 2014, 86min)
Sinopse: Enquanto atravessa o Saara em direção à Europa, Léonard, um jovem camaronês, presta auxílio a Hope, uma nigeriana. Em um mundo hostil onde cada um deve ficar com os seus, eles vão tentar avançar juntos e se amar.

20h
Poesia Contemporânea: entre lugar e não lugar com Marcelo Ariel e Rodrigo Garcia Lopes
Mediação: Diamila Medeiros dos Santos
A crise da poesia como advertida por inúmeros críticos rende, desde o início do século XX, inúmeros debates. Mas, e os poetas o que têm a dizer sobre isso? Inegavelmente, a poesia não deixou de ser produzida, ao contrário, parece ser escrita cada vez por um maior número de pessoas, mas quem são os leitores de poesia?  Além disso, quais são as possibilidades para o discurso poético em meio a uma instrumentalização cada vez maior dos discursos? Essas são algumas questões a serem debatidas com os poetas Marcelo Ariel e Rodrigo Garcia Lopes.
__________________________________
A Semana Literária em Curitiba
De 18 a 22 de setembro de 2017 das 10h às 20h30.
Dia 23 de setembro de 2017 (sábado) das 10h às 18h.
Endereço: Praça Santos Andrade
Telefone: (41) 3304-2266
Realização Fecomércio PR; Sesc PR; UFPR; Editora UFPR; PROEC
Apoio: Prefeitura de Curitiba; RPC TV;

Patrocínio da XIV; Feira do Livro Editora UFPR; Caixa Econômica Federal

Fonte:
http://www.sescpr.com.br/semanaliteraria/programacao/curitiba/

36ª Semana Literária Sesc Maringá (Programação 20 de setembro - Quarta)

08h30; 15h30
Curtas Infantis

Coletânea de curtas de animação de diversas épocas e técnicas. Os títulos são:
    “A Casa”, dirigido por Andrés Lieban;
    “A Moça que Dançou Depois de Morta”, dirigido por Ítalo Cajueiro;
    “A Rosa”, dirigido por Gordeeff;
    “Animando”, dirigido por Marcos Magalhães,
    “Aquarela”, dirigido por André Koogan Breitman e Andrés Lieban;
    “Docinhos”, dirigido por Frederico Pinto e José Maia;
    “Historietas Assombradas (para crianças malcriadas)”, dirigido por Victor-Hugo Borges;
    “Meow”, dirigido por Marcos Magalhães;
    “O Natal do Burrinho”, dirigido por José Maia, Lancast Mota, Otto Guerra;
    “Os Olhos do Pianista”, dirigido por Frederico Pinto;
    “Precipitação”, dirigido por Marcos Magalhães ;
    “Tem Boi no Trilho”, dirigido por Marcos Magalhães;
    “Tyger”, dirigido por Guilherme Marcondes;
    “Vrruummm!!!”, dirigido por Paula Dager Aguiar.

08h30 às 20h
Leia e Troque
 

O Leia e Troque é um serviço que promove a troca de livros e gibis, incentivando e conscientizando as pessoas de que, após lerem um livro, não o mantenham guardado, mas o disponibilizem ou troquem com outras pessoas para que todos tenham acesso à leitura. Essa ação de solidariedade e cooperação de livros faz com que muitos, após a leitura, doem seus livros para fazerem parte do serviço, independente de querer ou não realizar a troca. O objetivo geral deste serviço durante a Semana Literária é o incentivo à leitura por meio da socialização do livro e do respeito ao meio ambiente.

9h; 10h; 14h; 15h
As minhas, as tuas e as nossas histórias – o universo literário e suas possibilidades de integração. com Rosane de Castro

 As minhas, as tuas e as nossas histórias – o universo literário e suas possibilidades de integração é um convite a um belo passeio por histórias encantadoras. Conhecer a diversidade cultural é investir na qualificação e ampliação do conhecimento. Portanto, a proposta se justifica por suas características culturais, históricas e sociais.  O espetáculo apresenta um repertório com dez histórias. Utilizando recursos cênicos e sonoros, proporciona ambientação necessária para estimular o interesse do público. As crianças são convidadas a participar do espetáculo de uma forma dinâmica e divertida. São elas que conduzirão a escolha das narrativas que compõem o espetáculo.

Escritora, narradora de histórias, arte-educadora e promotora cultural. Graduada em Letras pela Universidade Luterana do Brasil – Ulbra, e pós-graduada em História e Cultura Indígena e Africana. Atua em projetos culturais, sociais e pedagógicos  em instituições públicas, privadas e organizações não governamentais. Organiza e atua em feiras, bienais e eventos culturais e literários na Região Metropolitana de Porto Alegre e em diversas cidades do interior do Rio Grande do Sul e vários estados do Brasil. Idealizou o projeto Piquenique da Leitura, que completou três anos em março de 2015.
 

10h; 16h30
Helena de Curitiba
 

Dir. Josina Melo. “Helena de Curitiba” narra a história da professora e poetisa paranaense Helena Kolody. O documentário traz imagens e depoimentos inéditos da poetisa, colhidos um mês antes de sua morte, em fevereiro de 2004, aos 92 anos. O enredo do filme nasce com cenas fictícias da infância e adolescência dela em meio à natureza paranaense, passando pelo amadurecimento da escritora, professora, e mostrando a sua história como filha, jovem, mulher e autora. Relata parte da história da imigração ucraniana no Paraná através de imagens do acervo da Cinemateca de Curitiba.

13h30 às 17h30
Criação Literária com Cezar Tridapalli
 

A oficina de criação literária propõe um passeio por diversos gêneros da arte que tem na palavra a sua matéria-prima. A partir da noção de "experiência", na vida e na literatura, será proposto ler e escrever, narrar, descrever, refletir sobre e por meio da palavra escrita, sobretudo da narrativa.

Graduado em Letras pela Universidade Federal do Paraná (1997), especialista em Leitura de Múltiplas Linguagens (PUCPR, 2002) e mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal do Paraná (2004), com a dissertação De Luzes e de Sombras: jogos barrocos em contos fantásticos. Foi coordenador de Mídia educação no Colégio Jesuíta Nossa Senhora Medianeira, em Curitiba. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura, atuando principalmente nos seguintes temas: literatura brasileira, teorias da leitura, poesia contemporânea, artes e realismo fantástico. Traduziu do Italiano para o Português a obra "O fantástico", de Remo Ceserani. Tem experiência ainda na área de tecnologias aplicadas à educação. Escreve para o blog Educação e Mídia, do Jornal Gazeta do Povo. www.cezartridapalli.g12.br.
 

20h
Literatura e Cidades com Cezar Tridapalli
 

Com um registro realista e minucioso do espaço das cidades, a obra de Cezar Tridapalli traz o elemento humano que se move por esse território e tensiona as relações entre o local e o global. Em Pequena biografia de desejos e em O beijo de Schiller, o estrangeiro (o estranho?) aparece como componente que disturba uma ordem aparente, em Vertigem do chão, seu terceiro romance, ainda inédito, essas fronteiras se desmancham. É no cruzamento de territórios, na inversão de destinos de seus personagens, que o romance acontece, pendulando e tropeçando em noções difusas de centro e periferia, com marroquinos, turcos e haitianos migrando e atravessando os caminhos dos dois protagonistas, um holandês, outro brasileiro.
A conversa vai girar em torno das relações amplas entre literatura e realidade no espaço das cidades, geopolítica e literatura, processo de criação, entre outros assuntos de interesse do público.

Graduado em Letras pela Universidade Federal do Paraná (1997), especialista em Leitura de Múltiplas Linguagens (PUCPR, 2002) e mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal do Paraná (2004), com a dissertação De Luzes e de Sombras: jogos barrocos em contos fantásticos. Foi coordenador de Mídia educação no Colégio Jesuíta Nossa Senhora Medianeira, em Curitiba. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura, atuando principalmente nos seguintes temas: literatura brasileira, teorias da leitura, poesia contemporânea, artes e realismo fantástico. Traduziu do Italiano para o Português a obra "O fantástico", de Remo Ceserani. Tem experiência ainda na área de tecnologias aplicadas à educação. Escreve para o blog Educação e Mídia, do Jornal Gazeta do Povo. www.cezartridapalli.g12.br.

____________________________
A Semana Literária em Maringá
Realização Fecomércio PR - Sesc PR

Endereço: Av. Duque de Caxias,1517
Agendamento:
32652770 - Valéria / 32652750 - Andréia

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to