Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Chuva de Versos n. 427




Uma Trova de Curitiba/PR
Paulo Walbach Prestes
És orquestra, és cantata,
Iguaçu corre em canção..
nasce no fundo da mata,
e despenca em oração!
___________
Uma Trova de Vitória/ES
Ronald Helmut Cekal
Sempre que chegam as férias,
saio, correndo, a brincar,
alegremente, sorrindo,
como um pássaro a voar.
___________
Um Poema de Maringá/PR
Florisbela Margonar Durante
CONSTANTE PRIMAVERA
Folhas soltas caem
assoladas por um forte vento;
arrastam consigo nossos sonhos,
espalham desenganos
gerados pelos outonos.
Meu coração
parece não viver essa estação.
Bate fora de compasso
e nem sabe o que o espera,
e o que causa espanto:
– traz consigo todo o encanto
da constante primavera.
___________
Uma Trova Humorística de Santos Dumont/MG
Mário Luiz Ribeiro
Às vezes eu me atrapalho,
com um pensamento maroto:
- Por que é que "broto" dá galho,
e este, nem sempre dá broto?!
___________
Uma Trova de Vitória/ES
Márcia Hildilene Matheilo
Fazer trovas sobre férias?
Mas, que ideia mais maluca.
Nas férias quero passear,
brincar, descansar a cuca.
___________
Um Poema de Maringá/PR
Florisbela Margonar Durante
FALSO DIAMANTE
Um novo raio
surgiu em teu olhar
despejando filigranas de estrelas
penduradas de promessas
veiculadas em pleno ar.
Sou pingente de cristal
refletindo matizes múltiplos
no diamante bruto da paixão.
Performance
de impossível lapidação
se o calor
que se torna maleável
oculta sua face
no lago azul,
limite da ilusão.
___________
Uma Quadra Popular
Autor Anônimo
Limoeiro pequenino,
carregado de limão,
eu também sou pequenino,
carregado de ilusão.
Fonte: Azevedo,Teófilo de. Literatura popular do norte de Minas: a arte de fazer versos.São Paulo, Global Editora, 1978. Cultura Popular, 3.
___________
Uma Trova Hispânica da Argentina
Marga Mangione
Callarse no es renunciar
ni encerrarse en el mutismo;
es que a veces el no hablar
es protegerse uno mismo.
___________
Um Poema de Maringá/PR
Florisbela Margonar Durante
CONVITE
Vem,
verde mar,
verdejar
minha alma,
colorir
meu entardecer,
chorar
bravamente
quando
a noite
me abraçar
suavemente.
___________
Trovadores que deixaram Saudades
Olavo Bilac
(Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac)
Rio de Janeiro/RJ (1865 – 1918)
Que cada um cumpra a sorte
das mãos de Deus recebida:
– Pois só pode dar a Morte
aquele que dá a Vida!
___________
Uma Trova de  São Paulo/SP
Domitila Borges Beltrame
A favela à luz da lua
é um presépio em miniatura,
mas ante o sol, triste e nua,
tem, de um calvário, a estatura!
___________
Um Poema de Maringá/PR
Florisbela Margonar Durante
APAIXONAR-SE
Apaixonar-se
é se perder no talvez
e se questionar no depois,
na urgência do aqui e agora.
Entre formas e pró-formas,
fugir de qualquer norma.
No vazio da imensidão
é galgar as estrelas
plantando esperanças
no céu do coração.
___________
Uma Trova de Vitória/ES
Geruza Aparecida Ferechi
(14 anos)
Minha vida de criança
esta escola iluminou
com as letras do alfabeto
que a professora ensinou.
___________
Um Haicai de Maringá/PR
Um Poema de Maringá/PR
Florisbela Margonar Durante
PRINCÍPIOS
Cresça no amor
e resgate a fé solidária.
Vista-se da riqueza de espírito
que fortalece o íntimo.
Anule a mesquinhez das desilusões
que amarguram a face.
Salve-se das impurezas do mundo
purificando-se na grandeza do perdão.
Deixe a chuva brotar
a esperança que plantou sobre o solo.
Encha os olhos da luz do infinito
e azule o mar a sua frente.
Considere a vida uma bênção
antes que a noite surpreenda o seu dia.
___________
 Uma Trova de Vitória/ES
Sayonara Freitas Campos
(14 anos)
Eu quero ser professora,
passe o tempo que passar.
Tudo aquilo que aprendi
vou com carinho ensinar.
___________
Um Haicai de Curitiba/PR
Shyrlei Queiroz
Choveu. Sol ficou
molhado. Agora escorreu
em luz, pelo morro…!
 ___________
Um Poema de Maringá/PR
Florisbela Margonar Durante
SEU PERFUME
Um dia qualquer
você pisou minha rua
exalando perfume de felicidade
transcendendo promessas
na vontade confessa
de me saciar.
Esquecida de mim,
segui suas pegadas.
Nunca o amor
teve perfume mais aspirado
enquanto você
meu ar perfumava.
Foi num dobrar de esquinas
que, de repente,
me percebi sem perfume.
E cada vez
é outra rua
fria e nua
de estranhos aromas
que a vida me embriaga.
_____________________________
Uma Trova de São Francisco de Iatabapoana/RJ
Roberto Pinheiro Acruche
Após, tanto tempo unidos,
vem Você, dizendo adeus!
Tornando agora perdidos
os melhores sonhos meus.
___________
Um Haicai de Santa Juliana/MG
 ___________
Um Poema de Maringá/PR
Florisbela Margonar Durante
A COR DA DOR
Eu não sabia
que a saudade
era branca e preta;
descobri à revelia,
tentando camuflar a dor
que em mim doía.
Esta, ao contrário,
era de tons vários
e salpicava
meu universo
das cores fortes
que recendia.
___________
Recordando Velhas Canções
Hotel das Estrelas
(1970)
Jards Macalé e Duda Machado
Dessa janela sozinha
Olhar a cidade me acalma
Estrela vulgar a vagar
Rio e também posso chorar
E também posso chorar
Mas tenho os olhos tranquilos
De quem sabe seu preço
Essa medalha de prata
Foi presente de uma amiga
Foi presente de uma amiga
Mas isso faz muito tempo
Sobre o pátio abandonado
Mas isso faz muito tempo
Em doze quartos fechados
Mas isso faz muito tempo
Profetas nos corredores
Mas isso faz muito tempo
Mortos embaixo da escada
Mas isso faz muito tempo
Oh ye, mas isso faz muito tempo
Mas isso faz muito tempo
No fundo do peito, esse fruto
Apodrecendo a cada dentada
Oooh
No fundo do peito, esse fruto
Apodrecendo a cada dentada
Mas isso faz muito tempo... (repete)
Dessa janela sozinha
Olhar a cidade me acalma
Estrela vulgar a vagar
Rio e também posso chorar
E também posso chorar
___________
Uma Trova de São José dos Campos/SP
Mifori
Se olhares para o horizonte
sem nenhum olhar vazio,
na fé de que Deus é a fonte,
o amor fluirá qual rio.
___________
Um Poema de Maringá/PR
Florisbela Margonar Durante
A HORA DA PRECE
O dia embalado
pela tarde
adormece.
O sol salpica
estrelas pela noite
que aparece.
A noite cortada
pelo luar
desfalece.
A fantasia viaja
pela Via Láctea que
embranquece.
O poeta agradecido
murmura uma
prece.
___________
Um Haicai de Magé/RJ
Benedita Azevedo
cair da tarde
à sombra do bambuzal
pios da coruja
___________
Uma Trova de São Luis/MA
Ferreira Gullar
Estes meus versos que a esmo
jogo aos espaços sem fim
são pedaços de mim mesmo,
que eu mesmo arranco de mim.
___________
Um Poema de Maringá/PR
Florisbela Margonar Durante
FOTO-GRAFANDO O AMOR
Foto-grafando o amor eu saí
por me sentir prisioneira
do universo infindo
que a teu lado vivi.
Fotografando o amor estou
quando vejo o tapete azul e verde
e o manto de estrelas
que Deus, de graça,
cobrindo o homem deixou.
Fotografando o amor eu sigo
quando o olhar que me incendeia
reflete o brilho farto
do ouro nas bateias.
Foto-grafando o amor insisto
ao tentar no tempo reter
a chama que visto.
___________
Hinos de Cidades Brasileiras
São Jorge do Ivaí/PR
Letra e música: Hulda Ramos Gabriel
Da Pátria és glória presente
Desta terra varonil!
Em ti a grandeza imponente
Que orgulha o Brasil
Surgiu, varonil!
São Jorge do Ivaí,
Integrado ao Paraná,
Sul do meu Brasil!
Vencida a bravia terra a sorte,
Ao forte com vitória!
Do vasto Paraná do norte,
Levando o estandarte em glória!
Do vasto Paraná do norte,
Levando o estandarte em glória!
___________
Uma Trova do Rio de Janeiro/RJ
Gilka Machado
(1893 – 1980)
Há de, com toda certeza,
casar-se a minha alma à tua,
nessa capelinha acesa
na alva capela da lua.
___________
Um Poema de Maringá/PR
Florisbela Margonar Durante
CAÇADA
Aventuro-me
e caço palavras
que se escondem rebeldes.
Num vasto cenário
eu as rabisco
e aprisiono em papel.
As emoções vestem
as palavras e desse
encontro de almas gêmeas
nasce o poema.

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to