Singrando Horizontes

Vive muito mais feliz
quem bebe as águas das fontes,
e, também, minh´alma diz,
quem vai Singrando Horizontes !
(Ialmar Pio Schneider - Porto Alegre/RS)

Vai, Singrando Horizontes,
O infinito é a ambição
rumo aos mais distantes montes,
rumo à imaginação!
(Sinclair Pozza Casemiro - Campo Mourão/PR)

Você é a Gralha Poeta
que leva nossa poesia
ao mundo, em que o grande esteta
criou com tanta harmonia!
(Nei Garcez – Curitiba/PR)
Nas artes e na literatura, vão surgindo as classificações didáticas, as separações por faixas etárias, estilos, temáticas etc. Ha professores e alunos no Brasil, que aprendem só isso da produção artística. Decoram nomes, escolas e datas, mas não se embrenham nos livros, preferem o futebol ou o vídeo-game. A Literatura de boa qualidade nos empolga, lemos sem poder largar o livro, as páginas suscitam nossa emoção, respondem ou provocam perguntas.

Sem a Literatura acumulada nos séculos, o ser humano estaria muito mais próximo da animalidade que ainda o caracteriza nas páginas policiais. Em minhas oficinas ninguém gasta muito tempo com aquela americana lista de soft, hard etc. etc. Falamos em cenas que não saem da memória, em emoções que derramam lágrimas, falamos em idéias e como expressa-las com eficiência. Quem entra em um Museu não fica procurando renascentistas, impressionistas, dadaistas, cubistas ou abstracionistas. O espectador inteligente não procura escolas ou datas, procura obras primas. Nossa ambição deve ser a obra-prima.

(André Carneiro)


Fonte da Imagem da Pomba = http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal121/qualidade_vida_paz.aspx

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Chuva de Versos n. 466


Uma Trova de Piraquara/PR
Horácio Portella

Ao sopro sutil da brisa
tremula a bela bandeira
que com graça simboliza
nossa terra brasileira.
_______________________
Um Poema de Alegrete/RS
Mário Quintana

SE O POETA FALAR NUM GATO
(TODOS OS POEMAS SÃO DE AMOR)

Se o poeta falar num gato, numa flor,
num vento que anda por descampados e desvios
e nunca chegou à cidade…
se falar numa esquina mal e mal iluminada…
numa antiga sacada… num jogo de dominó…
se falar naqueles obedientes soldadinhos de chumbo que morriam de verdade…
se falar na mão decepada no meio de uma escada
de caracol…
Se não falar em nada
e disser simplesmente tralalá… Que importa?
Todos os poemas são de amor!
_______________________
Uma Trova Hispânica da Espanha
Esther Luscinda Santander

Al beberme tu sonrisa
siempre beso antes tus labios,
muy despacito y sin prisa
porque ya tengo resabios.
_______________________

Um Poema de Pirapetinga/MG
Amélia Luz

BICHO MINEIRO

Mineiro é bicho manso,
Domesticado, bicho de paz.
Depois de um dedo de prosa
Aquieta, acalma o tom da voz,
Cofia pensativo o bigode,
Contando causos e se satisfaz!
Sossegado, pausado,
Fica alegre, espicha a conversa,
Sem muita pressa,
Buscando argumentos distantes
Para a seqüência exata da história.
Mineiro é bicho manso,
Bicho de muita paz,
Prudente, segue adiante, confiante,
Sem ganância ou maldade,
Apostando sempre na sua lealdade...
Marca a sua vida, curiosamente,
Pela sua aguçada astúcia,
Desconfiado e temeroso,
Ao lidar com o desconhecido.
Preso pelas montanhas,
Misteriosas de Minas,
Garimpa ouro e acha a liberdade
No gene hereditário dos inconfidentes.
Conquista a quietude natural
No exercício costumeiro da observação.
Mineiro é bicho manso, bicho de paz,
Fala em silêncio com o olhar
Descobre minúcias com o coração
Sem nunca deixar se enganar.
É um fingidor dissimulado,
É um poeta inspirado,
É sobretudo, humilde e corajoso,
Dono das suas próprias convicções...
Na verdade, o mineiro, é como Drummond,
Espia por cima das montanhas...
_______________________

Uma Trova de São Paulo/SP
Darly O. Barros

Nas mãos de venais cultores
de torpes ações funestas,
o mundo, entre outros horrores,
chora a morte das florestas...
_______________________

Um Poetrix do Rio de Janeiro/RJ
Israel dos Santos

a carta

Li em gotas,
Tantas, que borraram
Final que me descarta.
_______________________

Um Poema do Rio de Janeiro/RJ
Luiz Poeta

FALANDO DE MULHER

Como é difícil falar deste ser maravilhoso
sublime, misterioso, denominado mulher...
Como é difícil calar um verso impetuoso,
de um poeta habilidoso que no fundo sempre a quer...

Meu Deus, como é complicado riscar um verso discreto
que fale esse dialeto dos homens, pobres mortais,
um verso bem inspirado que diga o que a gente sente,
por elas... que incompetentes que somos, que animais!

A mulher é tão completa, sonhadora... realista...
Que nós, os especialistas, delas não sabemos nada,
E não basta ser poeta, ser homem ou ser amante
deste ser apaixonante, desta musa tão amada...

Para entender cada gesto ou ímpeto ou devaneio...
Quem não precisa de um seio para se tornar menino?
Somos seres tão modestos diante desses monumentos
Nunca estamos desatentos ao talento feminino.

A mulher é tão divina e o homem é tão carente...
Meu Deus, como é atraente falar de uma mulher:
Inteligente, sensível, talentosa, companheira,
Eu daria a vida inteira para tê-la... quem não quer?

Mas tê-la inteiramente: no espírito, em pensamento...
Em todo e qualquer momento e... na cama, por que não?
Afinal, o coração de um homem só é completo
Quando este ser predileto habita seu coração.
_______________________

Trovadores que deixaram Saudades
José Maria Machado de Araújo
Vila Nova de Famalicão/ Portugal (1922 – 2004) Rio de Janeiro/RJ

É uma loura de lascar,
minha secretária, a Elisa.
Só não sabe trabalhar,
mas eu pergunto: – E precisa?
_______________________

Um Poetrix de Espinho/Portugal
Ana Oliveira

eu

habito no livro puído
logo sou pó
não fluído
_______________________

Um Poema de Biguaçu/SC
Clarisse da Costa

VOCÊ EM MIM
Ao Jean Willian da Silva

Você em mim
Mesmo que distante
E não tão ausente,
Toca fundo
No meu corpo físico
Mexendo com toda estrutura
Dos meus sentimentos.
Minha alma vaga entre meus
Pensamentos
E me perco
A procura do seu aconchego.
Meus olhos
Não se contém
E derramam gotas de cristais
Da imensa saudade
Que sinto de ti.
Amo-te sem fugir
Amo-te sem mentir
Amo-te sem pensar em mim.
A lucidez
Da melodia
Faz-se um musical com
O meu coração
Descompassado
Chamando seu nome:
Jean, Jean, Jean...
_______________________

Uma Trova Humorística de Nova Iguaçu/RJ
Licínio Costa

Clara disse: - Não te quero.
Mas disse tão docemente,
que eu notei: neste entrevero,
Clara mente, claramente!
_______________________

Um Poetrix de Salvador/BA
Goulart Gomes

TATUAGENS

sem agulhas nem tintas
as cicatrizes estão na alma
as marcas, na memória
_______________________

Um Poema de Bambuí/MG
Sérgio Márcio Carvalho

URUTAU

Eu posso ouvir o canto d’alvorada,
No gorjear, dos pássaros, perdidos,
Roçando, o vento, os plátanos despidos,
Na fria solidão da madrugada.

Flutua meu destino pela estrada,
Vagando pelos vales ressequidos,
Desperta a bruma, os sonhos esquecidos,
Como quem chega ao fim de uma jornada.

Assim se fez o tempo e os meus invernos,
Nas noites, sem dormir, nos meus infernos,
Arfando o peito em lúgubre agonia.

E no estuário em frente ao meu jazigo,
O canto do Urutau chora comigo,
Na triste solidão que morre o dia.
_______________________

Recordando Velhas Canções
Metamorfose ambulante
(1973)

Raul Seixas e Paulo Coelho

  Eu prefiro ser
  Essa metamorfose ambulante
Eu prefiro ser
  Essa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo
  Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo
  Eu quero dizer
  Agora o oposto do que eu disse antes
Eu prefiro ser
  Essa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo
  Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo

 Sobre o que é o amor
Sobre o que eu nem sei quem sou
Se hoje eu sou estrela
Amanhã já se apagou
Se hoje eu te odeio
Amanhã lhe tenho amor
Lhe tenho amor
Lhe tenho horror
Lhe faço amor
Eu sou um ator

  É chato chegar
  A um objetivo num instante
Eu quero viver
  Nessa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo
  Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo

  Sobre o que é o amor
Sobre o que eu nem sei quem sou
Se hoje eu sou estrela
Amanhã já se apagou
Se hoje eu te odeio
Amanhã lhe tenho amor
Lhe tenho amor
Lhe tenho horror
Lhe faço amor
Eu sou um ator

  Eu vou desdizer
  Aquilo tudo que eu lhe disse antes
Eu prefiro ser
  Essa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo
  Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo
  Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo
_______________________

Uma Trova de Belo Horizonte/MG
Olympio S. Coutinho

Para quem vive sem teto
e com carência de amor
um simples lençol de afeto
vale mais que um cobertor.
_______________________

Um Poema de São Paulo/SP
Wilson de Oliveira Jasa

CORAÇÃO AGRADECIDO

Este meu coração agradecido,
não tem o que da vida lamentar;
pois mesmo tendo sido já ferido,
as chagas não puderam lá ficar.

De amor meu peito é sempre abastecido,
e sigo agradecendo a caminhar;
nem mesmo de punhal sendo agredido,
jamais meu coração irá sangrar.

É na Escola da Vida que aprendi,
que um tortuoso caminho percorri,
lapidando e polindo o coração;

dessa forma marcando a trajetória,
ao conquistar em mim cada vitória,
por sentir muita paz e gratidão.
_______________________

Uma Aldravia de Magé/RJ
Benedita Azevedo

usinaço
acorda
Brasil!
conserva
teu
Ecossistema
_______________________

Uma Trova de Curitiba/PR
Vanda Alves

Folhas úmidas denotam,
num tronco recém tombado,
gotas de seiva que brotam,
em pranto, sobre o machado...
_______________________

Um Poema de São Paulo/SP
Marly Rondan

LUA AZUL

Sua face contemplando
em noite de muito agito,
minha alma sai procurando
Deusas e anjos para o rito.

Quero fadas, Ainia, Bri,
não falte o meu Uriel;
Lilith, Lugh, Kali,
Tempos de flores e mel...

Venham à celebração;
Vamos cantar, orar, dançar
com corpo, alma e coração
para este rito abençoar.

Bem vindos anjos e Deuses,
seres de mundos estranhos.
Só queremos ser felizes.
Tragam Paz, Amor e Sonhos!
_______________________

Uma Trova de Curitiba/PR
Vanda Fagundes Queiroz

Arrumei minha bagagem
com sonhos e fantasia,
e agora, no fim da viagem,
abro a mala… está vazia.
_______________________

Hinos de Cidades Brasileiras
Turilândia/MA

Nestes rincões com seus encantos seculares
De densas matas onde a flora rejubila,
Fauna pujante onde o belo se consagra,
Várzeas e campos onde a vida é tão tranquila.

Neste cenário de grandeza e de beleza
Desabrochou essa singela Turilândia
Outrora chamada de Pilões,
Lugar de corações
Tão jubilosos e cativos
Banhada pelos rios Turi
Caxias e Paruá,
Fertilizantes e expressivos.

Lago Bonito e Boa Vista pitorescos,
Balneário como o Quebra-pote, sempre um mito,
Com seu pescado abundante,
O povo se bendiz,
Seus babaçuais, fonte de renda,
Nesta terra se encomenda
A forma de ser feliz,
A forma de ser feliz.

Turilândia altiva,
Turilandense amigo,
Neste berço temos
gostoso abrigo
Terra promissora,
De povo gentil
Com Santa Luzia
Amamos o Brasil.
_______________________

Uma Aldravia de Maringá/PR
Alberto Paco

água
pura
jorrando
fonte
da
vida
_______________________

Um Poema de Itajaí/SC
Vivaldo Terres

AMAS A OUTRO

Como me ofuscas os olhos, oh iluminada!
Com esta luz que me faz embevecer...
Deixa-me em êxtase,
Transformas-me o ser.

Isto porque és toda encantamento!
Com esse sorriso que seduz a gente.
Deixa-me feliz e emocionado,
Mesmo sabendo que amas a outro,
E que por ti nunca serei amado.

Mas sou compreensivo e sei te entender,
Até porque o verdadeiro amor,
É divino e maravilhoso,
Quando ele chega não quer saber,
Se o ser humano é rei ou homem do povo.

Se ele é feio ou encantador,
Se ele é pobre ou tem dinheiro,
Quando ele chega...
Chega dominando,
Pois sua força é tal que se quiser,...
Domina o mundo inteiro.
_______________________

Uma Trova de Curitiba/PR
Araceli Friedrich

E na escalada da vida
tenho uma grande ambição:
De ser a amiga escolhida

pra te levar pela mão.

Nenhum comentário:

Autor Anônimo (Oração do Cão Abandonado)

DEUS
Sei que sou um ser criado por ti, para ser amado
pelos homens mas nasci sem a sorte de alguns de minha espécie.

Hoje meu dono levou-me a um passeio de carro.
Chegamos em uma praça, ele tirou minha coleira,
me fez descer do carro, e virando-me as costas,
foi embora e nem se despediu.

Tentei segui-lo mas o carro corria muito e não pude alcançá-lo.
Caí exausto no asfalto. Ainda não entendi. Por que ele me abandonou?

Eu sempre o recebi abanando o rabo, fazia festa e lambia seus pés.
Sempre lati forte, para defendê-lo e afastar os estranhos da porta.

Eu brincava com as crianças... ah! elas me adoravam.
Que saudades. Será que elas ainda se lembram de mim?

Deus, eu fico imaginando como seria bom se eu pudesse
comer agora. Puxa, estou faminto.

Não tenho água para beber, e estou tão cansado.

Procuro um cantinho onde possa me abrigar da chuva,
mas muitas vezes sou chutado.
As pessoas não gostam muito de mim aqui nas ruas.

Estou fraco, não consigo andar muito,
mas encontrei enfim um lugar para passar essa noite.

Está muito frio e o chão está molhado.
Já não tenho pêlo para me aquecer, estou doente,
e creio que ainda hoje vou me encontrar contigo.
Aí no céu meu sofrimento vai terminar.

Peço-vos então, pelos outros, por todos os cãezinhos e animais
abandonados nas ruas, nos parques, nas praças.

Mande-lhes pessoas que deles tenham compaixão,
pois sozinhos, viverão poucos meses, serão atropelados,
sofrerão maltratos dos impiedosos. Proteja-os.

Amenize-lhes esse frio, com o calor das pessoas abençoadas.

Diminua-lhes a fome, tal qual a que sinto, com o alimento do amor que me foi negado.

Sacie-lhes a sede com a água pura dos Seus ensinamentos.

Elimine a dor das doenças, dos maltratados, estirpando a
ignorância do homem.

Tire o sofrimento dos que estão sendo sacrificados em atos
apregoados como religiosos, científicos, tirando das mãos
humanas a sede pelo sangue.

Abrande a tristeza dos que, como eu, foram abandonados,
pois, dentre todos os sofrimentos, esse foi o maior e mais
duro de suportar.

Receba, DEUS, nesta noite gelada, a minha alma, e
minha oração pelos que aqui ficam. É por eles que vos peço,
pois não são humanos, mas são Seus filhos, e são leais e inocentes, e foram criados por Suas mãos e merecem o Seu abrigo.

Amém.

Enviar a pagina em pdf por e-mail

Send articles as PDF to